Cistermúsica abre com lotações esgotadas em todos os concertos até agora realizados

29
Julho

Primeira semana do Festival de Música de Alcobaça antevê edição de sucesso com adesão total do público

Lotação esgotada: tem sido esta a máxima associada aos primeiros concertos da 28.ª edição do Cistermúsica – Festival de Música de Alcobaça que teve, no passado dia 22 de julho, o seu concerto de abertura pelo jovem Quarteto Tejo, acompanhado em palco por um dos decanos da música em Portugal, António Saiote, a celebrar atualmente 50 anos de carreira. A atuação quebrou o silêncio do Claustro D. Dinis do Mosteiro de Alcobaça e o fim do interregno cultural ditado pela pandemia.

Também os restantes concertos do festival neste primeiro fim de semana esgotaram com grande rapidez, “adesão expressiva que permite intuir que o público está desejoso de assistir a espetáculos ao vivo, o que era a nossa convicção”, sublinha a organização do Cistermúsica. Não só: a prova de confiança do público no festival encontra assim a melhor resposta no compromisso sério que desde o início houve em cumprir escrupulosamente as recomendações de saúde pública para os eventos culturais.

No mesmo sentido, os artistas presentes fizeram questão de manifestar a alegria em voltar aos palcos, sublinhando “a importância da música, da partilha de emoções e da proximidade com o público”, como frisou Marcos Magalhães, um dos diretores musicais, a par de Marta Araújo, d’Os Músicos do Tejo. Esta orquestra barroca atuou, juntamente com o fadista Ricardo Ribeiro e a soprano Ana Quintans, no passado sábado, para uma plateia repleta absolutamente rendida à prestação do eclético projeto “Do Barroco ao Fado”.

Últimos lugares: sempre rumo a Beethoven e Outros Mundos até 19 de agosto

Num ano em que é imperativo celebrar Beethoven, a programação principal do Festival prossegue esta próxima sexta-feira, dia 31 de julho, às 21h30, com a interpretação da 5ª Sinfonia, pela Orquestra Filarmónica Portuguesa, sob a direção de Osvaldo Ferreira e o pianista João Bettencourt da Câmara, concerto já esgotado, à semelhança da apresentação do projeto Diáspora pelo agrupamento de música antiga Sete Lágrimas, no dia seguinte, às 21h30.

Restam, aliás, no conjunto da programação, apenas quatro propostas com bilhetes disponíveis: a apresentação da Integral das Obras de Beethoven para Violoncelo e Piano, por Jed Barahal e Christina Margotto, repartida em duas partes distintas, dias 6 e 7 de agosto, sempre às 21h30, as Árias de Bravura para Tenor pela orquestra La Nave Va, com o tenor Marcel Beekman, uma das estrelas atuais no mundo da interpretação barroca, no dia 8, à mesma hora e, por fim, o Ensemble São Tomás de Aquino que apresenta um programa dedicado à Polifonia Renascentista, no dia 9 de agosto, às 18h00 no Mosteiro de Cós.

Outros pontos altos da programação serão protagonizados ainda por uma versão muito intimista e especial do Stabat Mater de Pergolesi, pelo acordeonista João Barradas e as cantoras Bárbara Barradas e Cátia Moreso, na Nave Central do Mosteiro de Alcobaça, dia 16 de agosto, às 18h00, a par da transmissão em livestream da famosa Carmina Burana de Carl Off numa performance pela Vortice Dance Company que cruza dança contemporânea com videomapping e que pode ser visualizada nas plataformas digitais do festival, na noite de 19 de agosto, às 23h00.

Na secção Off, que navega por outros mundos musicais, destaque para o quarteto The Postcard Brass Band, que atua no Mosteiro de Alcobaça a 29 de julho (21h30), dia 1 de agosto em São Pedro de Moel - Marinha Grande (22h00) e no dia 2 no Convento das Bernardas – Museu da Marioneta em Lisboa (19h00).

Subscreva a newsletter do Cistermúsica