Ars Choralis Coeln

Alemanha
Rota de Cister
17
julho

15h00
Local: Arouca - Mosteiro de Arouca

Ordo Virtutum

Com as suas obras e os seus cânticos visionários, Hildegard von Bingen escreveu uma espécie de síntese teológica das artes sem paralelo, e com o Ordo Virtutum criou a primeira peça de teatro de mistério na Europa a chegar até nós por escrito. Com as suas obras visionárias e os seus cânticos, Hildegard von Bingen escreveu uma espécie de síntese teológica das artes que é inigualável. É possível sentirmos o amor de Hildegard pelo projeto e a sua queda para produções dramáticas quando deixa as forças virtuosas aparecerem e cantarem como alegorias: A visão de Hildegard de uma ordem divina através de sons e ações. A música do Ordo Virtutum encontra-se no chamado Riesenkodex (Wiesbaden) e foi transcrita do original por Maria Jonas para esta produção. A ideia da nossa atuação é uma viagem visual e acústica através do tempo e pelo mundo da música e do misticismo daquela época distante que hoje volta a estar tão próxima.

ENTRADA LIVRE

Programa

CENA I - A alma perdida e as forças celestiais
Infelix Anima e Diabolus - os Poderes de Deus lutam pela alma triste, que o diabo quer evitar. Os Poderes de Deus cantam um lamento: "O plangens vox". 

CENA II - A ordem das forças celestiais
Os Poderes de Deus apresentam-se, o diabo tenta perturbar - mas não está à altura das forças unidas dos Poderes de Deus: Humildade, Amor, Castidade, Desprezo pelo Mundo, Vitória, Diferenciação e Paciência.

CENA III - A luta das forças celestiais pelas almas perdidas
A alma fica impressionada com esta manifestação e lamenta as suas feridas. Ela apela aos Poderes de Deus. A cena termina com uma impressionante oração de ação de graças: "Ó vivens fons!" - Ó fonte viva.

CENA IV - Vitória das forças do céu
Chega-se a um final feliz! Victoria acorrenta o diabo - todos se regozijam! E antes da peça final, Humildade faz uma pergunta invulgar: "Deus, quem és tu?"

FINALE - No início, todas as criaturas verdejam 

Ficha artística
PEREGRINE: Petra Koerdt, Cora Schmeiser, Uta Kirsten
ANIMA: Cora Schmeiser 
DIABOLUS: Lucia Mense, flautas medievais
VIRTUTES (os Poderes de Deus):
HUMILITAS (a Humildade): Maria Jonas
KARITAS (o Amor): Amanda Simmons
CASTITAS (a Castidade): Uta Kirsten
CONTEMPTUS MUNDI (o Desprezo pelo Mundo): Petra Koerdt
AMOR CELESTIS (o Amor pelo Celestial): Susanne Ansorg, violino, sinos
VICTORIA (a Vitória): Pamela Petsch, adufe
DISCRETIO (a Diferenciação): Stefanie Brijoux
PATIENTIA (a Paciência): Sylvia Dörnemann

Maria Jonas, direção
Ars Choralis Coeln, produção

Parceria:

cistermusica2022-site-logosprogramacao-01-ordovirtutum-arouca

Concerto inserido na programação “Arouca: A História de um Mosteiro”

Informações
Para qualquer dúvida contacte-nos:
Tlm. 967 716 647 ou info@cistermusica.com

Subscreva a newsletter do Cistermúsica